Mozambique
MapoList


Após gastar 1,8 bilião Governador do Banco de Moçambique reza pelo novo software da SIMO... ...

Depois de gastar mais de 1,8 bilião de meticais nos dois anteriores softwares comprados para a Sociedade Interbancária de Moçambique (SIMO) o Banco de Moçambique(BM) contratou nesta segunda-feira(10) a empresa norte-americana Euronet para a instalação d
@Verdade - Últimas

Após gastar 1,8 bilião Governador do Banco de Moçambique reza pelo novo software da SIMO... ...

Depois de gastar mais de 1,8 bilião de meticais nos dois anteriores softwares comprados para a Sociedade Interbancária de Moçambique (SIMO) o Banco de Moçambique(BM) contratou nesta segunda-feira(10) a empresa norte-americana Euronet para a instalação de um novo sistema informático para os pagamentos electrónicos interbancários no nosso país. “Rezamos para que a sua implementação seja rigorosa” disse apenas o Governador do banco central. O @Verdade sabe que a implementação plena da nova plataforma só acontecerá depois de 2020. Oito anos após a criação da instituição que é suposto disponibilizar “um sistema electrónico de pagamentos moderno, seguro, fiável, integrado, inclusivo e de acesso universal que permitisse massificar a utilização de meios de pagamentos electrónicos a nível nacional”, e 25 dias após o apagão da SIMO rede em Moçambique o principal acionista da Sociedade Interbancária de Moçambique rubricou um acordo com uma empresa norte-americana, fundada em 1994 na Hungria, para a compra da licença do seu software que deverá substituir o que que actualmente está em reutilização e é fornecido pela portuguesa BizFirst. “A nossa solução disponibilizada pela Euronet consiste num licenciamento perpétuo que responde as necessidades actuais do mercado, oferece serviços hoje disponibilizados pela SIMO rede e ainda novas funcionalidades apresentado a vantagem de estar certificada e responder as exigências dos diferentes sistemas de pagamentos internacionais” afirmou Luísa Samuel Nabel, directora do gabinete de assessoria jurídica do BM. A representante do banco central disse ainda ser “nossa convicção que hoje inicia uma nova caminhada rumo a unificação de todas as plataformas de pagamentos electrónicos em Moçambique, objectivo que só será possível alcançar com o profundo envolvimento de todas as instituições de crédito e sociedades financeiras da SIMO e da nossa parceira a empresa Euronet”. Após testemunhar a assinatura do contrato o Governador Rogério Zandamela, acompanhado pelos Administradores, quadros seniores do BM, gestores da SIMO e o presidente da Associação Moçambicana de Bancos, fez um brinde e apenas afirmou: “Rezamos para que a sua implementação seja rigorosa e esteja em linha não só com a letra mas também com o espírito do contrato que ambas partes acabaram de assinar”. Migrar da BizFirst para o sistema informático da Euronet é trabalho para mais de 12 meses O @Verdade não sabe se o Governador do banco central é religioso mas Zandamela, que foi desautorizado pelo Governo na sua pretensão de não voltar a usar o software da empresa BizFirst, bem pode rezar a todas as confissões religiosas existentes em Moçambique, e no planeta, mas terá de conviver com a plataforma portuguesa durante pelo menos os próximos 12 meses, senão outros tantos. É que só depois da assinatura dos contratos, em Maputo, e do mais do que provável primeiro pagamento à empresa norte-americana é que os engenheiros informáticos da Euronet irão começar a lidar com a solução para Moçambique. O @Verdade apurou, junto de engenheiros informáticos com experiência no ramo, que ultrapassadas as formalidades burocráticas não se trata apenas de instalar um novo software e depois ligar às plataformas que cada um dos bancos comerciais possui. Instalado o novo sistema informático na SIMO, que muito provavelmente será acompanhado por hardware novo, os engenheiros iniciarão o desenvolvimento de sistemas específicos para cada um dos 11 bancos comerciais que estão neste momento conectados à rede e depois vão desenvolver outros softwares para cada um dos vários serviços de pagamentos electrónicos existentes. Posteriormente será necessário efectuar um processo de ligação aos pelo menos três provedores globais de cartões de crédito dentre outros procedimentos que requerem não só o envolvimento dos engenheiros da SIMO e da Euronet mas também de cada uma das instituições cujos sistemas e serviços precisam de ser conectados. As fontes ouvidas pelo @Verdade afirmam que cada um destes procedimentos demora pelo menos 2 semanas. Os entrevistados do @Verdade recordam que aquando da entrada de um dos bancos comerciais, aquele que tem quota de mercado de 16 por cento, à SIMO rede os procedimentos demoraram mais do que 1 ano a serem migrados. Portanto migrar do software da BizFirst os mais de 2 milhões de cartões, cerca de 20 mil POS (Point of Sale) e pouco mais de mil ATM (Automatic Teller Machine) para o sistema informático da Euronet será trabalho para mais do que 12 meses. Solução SIBS custou 625 milhões e InterBancos 1,1 bilião de meticais Investigações do @Verdade apuraram que desde que a Sociedade Interbancária de Moçambique foi criada em 2011 os moçambicanos já investiram na empresa pelo menos 1,8 bilião de meticais e não tem “nada”, como Rogério Zandamela admitiu na Assembleia da República. No ano em que a instituição iniciou as suas actividades o Banco de Moçambique reportou nas suas contas: “O aumento destes investimentos deve-se à participação na Sociedade Interbancária de Moçambique (SIMO) no valor de 156.689 milhares de meticais.” Nessa altura a SIMO adquiriu o software a uma empresa portuguesa que no seu sítio na internet clama: “Entre 2010 a 2015 a SIBS em parceria com o processador interbancário local, implementou várias soluções que são o pilar do sistema de pagamentos Moçambicano.” Esse alegado “pilar do sistema de pagamentos Moçambicano” que revelou-se ineficaz tendo no seu auge apenas conseguido conectar 5 mil cartões, pouco mais de duas dezenas de POS´s e uma dezena de ATM custou mais 156.689 milhares de meticais em 2012 e outros tantos em 2013 e 2014 num total de 625.568.000 de meticais, cerca de 20,8 milhões de dólares ao câmbio da altura. Fontes ouvidas pelo @Verdade na explicaram que esse montante terá coberto não apenas os custos do sistema informático mas também equipamentos informáticos para a SIMO. Em 2015, ano em que a Sociedade Interbancária de Moçambique iniciou a aquisição da InterBancos, na expectativa de comprar também o software que operava a rede na altura denominada Ponto 24, o BM inscreveu no seu Relatório e Contas 273.593.000 de meticais, quantia idêntica foi reportada em 2016. No ano passado, para consumar a aquisição da InterBancos, o Banco de Moçambique pagou mais 645.410.000 de meticais. No entanto neste negócio com a InterBancos os bancos comerciais, que ficaram com a aura de salvadores dos moçambicanos por se terem juntado para pagar a chantagem da BizFirst, eram os proprietários da empresa que o Banco de Moçambique adquiriu por mais de 1,1 bilião de meticais, cerca de 24,4 milhões de dólares aos câmbios de então. O @Verdade apurou que o maior beneficiário dessa negociata, que apenas serviu para drenar dinheiro dos moçambicanos, foi o Banco Comercial e de Investimentos que na altura detinha 57 por cento da InterBancos. Paradoxalmente nenhum dos antigos responsável do Banco de Moçambique ou da SIMO envolvidos nas negociatas foi responsabilizado.

Com novas funcionalidades: Standard Bank reinaugura agência de Pemba

O Standard Bank reinaugurou, na sexta-feira, 7 de Dezembro, a agência de Pemba, na província de Cabo Delgado, que beneficiou de obras de ampliação e remodelação, inseridas no projecto de modernização e construção de novas agências com vista a propo
@Verdade - Últimas

Com novas funcionalidades: Standard Bank reinaugura agência de Pemba

O Standard Bank reinaugurou, na sexta-feira, 7 de Dezembro, a agência de Pemba, na província de Cabo Delgado, que beneficiou de obras de ampliação e remodelação, inseridas no projecto de modernização e construção de novas agências com vista a proporcionar mais espaço e conforto aos clientes, para além de conferir maior celeridade no atendimento. Localizada no centro da cidade de Pemba, a agência, implantada naquela urbe em 1996, apresenta, agora, padrões internacionais no que diz respeito à inovação, com destaque para a área digital, que funciona 24 horas por dia, equipada com ATMs para depósitos, bem como serviços de um balcão tradicional, tais como caixas (incluindo para grandes depósitos), casa para ATMs, onde o cliente pode efectuar as suas transacções com maior segurança e privacidade. O presidente do Conselho de Administração do Standard Bank, Tomaz Salomão, explicou que a reinauguração daquela agência demonstra o comprometimento do banco para com o desenvolvimento da cidade de Pemba, em particular, e da província de Cabo Delgado, no geral, que têm conhecido um crescimento assinalável mercê da descoberta de hidrocarbonetos na Bacia do Rovuma, do turismo, da exploração dos recursos minerais, entre outras actividades. “Por acreditarmos no potencial desta cidade, fomos o primeiro banco privado a instalar-se nesta região, em 1996. Por isso, estamos orgulhosos de ter contribuído amplamente para a bancarização de toda a província de Cabo Delgado, no financiamento de empreendimentos que têm estado a impulsionar o desenvolvimento deste ponto do País, incluindo a criação de vários postos de trabalho”, destacou Tomaz Salomão. Na ocasião, o presidente do Conselho de Administração do Standard Bank apontou, a título exemplificativo, a pintura do edifício em que se encontra a agência como símbolo do empenho do banco em apoiar na manutenção da cidade de Pemba. Na mesma vertente, o administrador delegado do Standard Bank, Chuma Nwokocha, referiu que, com a remodelação e modernização daquela agência, o banco pretende dar novo ímpeto ao seu contributo na dinamização da economia daquela província. “Os agentes económicos, incluindo os seus familiares, poderão encontrar soluções de depósito, poupança, financiamento, entre outras de que necessitem para concretizar os seus empreendimentos e sonhos”, garantiu Chuma Nwokocha, que acrescentou que, com as inovações introduzidas, “os clientes podem encerrar os estabelecimentos a qualquer hora do dia, na certeza de que terão como depositar as receitas de forma rápida e segura nas ATMs para depósito”. A cerimónia de reinauguração contou com a presença do governador da província de Cabo Delgado, Júlio Parruque, que, na sua intervenção, disse acreditar que a reinauguração daquela agência seja “um novo ponto de partida para a expansão do Standard Bank para outros distritos da província, em resposta antecipada à previsão de crescimento económico de Cabo Delgado, onde os serviços são indispensáveis”. “Pelo País fora, o Standard Bank tem dado mostras do compromisso de alargar os seus serviços com a abertura de novas e mais modernas agências, acompanhada por uma prestação de serviços orientada para o cliente”, sublinhou o governador. Por seu turno, a chefe de Serviços de Operações Gerais na Filial do Banco de Moçambique na cidade de Pemba, Julieta Govanhica, considerou que “a remodelação e modernização daquela agência faz jus a uma série de medidas que o Standard Bank tem vindo a tomar com vista ao fortalecimento da sua presença junto dos cidadãos, cujos resultados merecem o nosso apreço”.

Destacado papel dos parceiros de cooperação na geração de emprego e renda

A promoção de emprego não é um desafio reservado exclusivamente ao Governo. A dinâmica socioeconómica, influenciada pelas políticas governamentais, abrem espaço para que o sector privado e parceiros de cooperação proporcionem mais empregos, trazend
@Verdade - Últimas

Destacado papel dos parceiros de cooperação na geração de emprego e renda

A promoção de emprego não é um desafio reservado exclusivamente ao Governo. A dinâmica socioeconómica, influenciada pelas políticas governamentais, abrem espaço para que o sector privado e parceiros de cooperação proporcionem mais empregos, trazendo renda e o acesso ao trabalho rentável, que é a face mais visível da distribuição da riqueza no País. A esse propósito é importante destacar o papel dos parceiros sociais (empregadores e sindicatos) e dos parceiros de cooperação, na formulação de medidas que concorrem para a criação de oportunidades de emprego, quer através do financiamento a iniciativas de empreendedorismo e auto-emprego de cidadãos moçambicanos em geral e aos jovens empreendedores em especial. A conjugação dessas sinergias foi, recentemente, destacada pela Ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social, Vitória Diogo, na abertura do Seminário “Dia Nórdico-Moçambique para o Crescimento Inclusivo” durante o qual enalteceu a contribuição financeira que o Reino da Suécia tem dado na implementação da Política do Emprego. Estas acções conjugadas, de todos nós, já resultaram na criação, 1.308.236 empregos, de 2015 até Setembro do ano, dos quais 68.683 foram ocupados por cidadãos de nacionalidade estrangeira, sendo 1.112.001 ocupados por jovens e 457.883 apenas por mulheres, disse a ministra. Segundo a ministra, um dos desafios que o País irá enfrentar no futuro é o crescimento demográfico, pois dados do Instituto Nacional de Estatísticas indicam para o aumento das taxas de fecundidade e diminuição das taxas de mortalidade, fazendo com que, em 2040, a esperança de vida venha a aumentar para 67 anos, a taxa de mortalidade reduzido para 6.6 e a de natalidade para 27.1, o que significa que nas próximas décadas a proporção da população em idade de trabalhar irá aumentar. Vitória Diogo está segura que Moçambique deverá preparar-se para extrair os benefícios económicos do Dividendo Demográfico, o que pressupõe a criação de condições para que a população seja saudável, educada e tenha acesso ao trabalho digno, decente e produtivo. «Não é por acaso que o Programa Quinquenal do Governo 2015-2019 tem como enfoque o “homem”, ou seja, “melhorar as condições de vida do Povo moçambicano, aumentando o emprego, a produtividade e a competitividade, criando riqueza e gerando um desenvolvimento equilibrado e inclusivo, tendo como enfoque três das cinco prioridades: desenvolvimento do capital humano, Desenvolvimento de infra-estruturas e Promoção do Emprego, aumento da Produtividade e Competitividade», referiu a titular do MITESS. Ela garantiu que o enfoque tem sido dado ao reforço das medidas activas de emprego, promoção do auto-emprego e empreendedorismo; o estímulo ao sector agrário, pesqueiro, industrial e comercial, promoção do agro-processamento, conservação de cereais e povoamento dos tanques piscícolas, dentre outras medidas. Destacou ainda o estímulo ao Sector da Hotelaria e Turismo dada a capacidade de absorção de mão-de-obra. Noutro desenvolvimento, a governante lembrou que o Governo aprovou em 2016 a Política de Emprego sob o lema “mais e melhores empregos para os moçambicanos”. É dentro das linhas de implementação da Política de Emprego, conjugada com a implementação da Lei da Educação Profissional, que se vai alinhando a educação profissional às necessidade do mercado do trabalho através da participação do sector privado na gestão deste sub-sistema, criação do quadro nacional de qualificações, actualização dos curricula e modernização das instituições de educação profissional. Por seu turno, a embaixadora da Suécia, Marie Andersson de Frutos, considerou, na ocasião, que o Relatório do Mercado do Trabalho, ora lançado, vai ajudar os vários intervenientes no mercado de trabalho no processo de definição de estratégias e tomada de decisões. A diplomata realçou o facto de o documento apresentar dados desagregados por sectores, o que, para si, o torna mais útil e permite uma fácil análise do nível de crescimento por sectores de actividade. Marie Andersson de Frutos defendeu “um crescimento económico que promova a redução da pobreza, que é o objectivo principal da nossa cooperação, bem como a promoção do emprego digno e produtivo”.

ICM e Gapi criam crédito à comercialização agrícola

O Instituto de Cereais de Moçambique (ICM) e a Gapi assinaram, na segunda -feira, 10 de Dezembro, um acordo que cria a Linha de Crédito especial de apoio à Comercialização Agrícola. Este evento contou com a presença do Ministro da Indústria e Comérci
@Verdade - Últimas

ICM e Gapi criam crédito à comercialização agrícola

O Instituto de Cereais de Moçambique (ICM) e a Gapi assinaram, na segunda -feira, 10 de Dezembro, um acordo que cria a Linha de Crédito especial de apoio à Comercialização Agrícola. Este evento contou com a presença do Ministro da Indústria e Comércio, Ragendra de Sousa, membros do Conselho Consultivo do MIC e dos Conselhos de Direcção do ICM e da Gapi. Trata-se de uma linha de crédito que irá priorizar o financiamento das campanhas de comercialização agrícola, bem como algumas actividades de agroprocessamento, com prioridade para as regiões já identificadas como estratégicas pelo ICM. Após a consolidação desta fase inicial, prevê-se a possibilidade de se promoverem investimentos com vista à ampliação e modernização da capacidade de armazenamento dos bens comercializados e contribuir para uma maior e melhor utilização de infra-estruturas de armazenagem e processamento. Na ocasião, Ragendra de Sousa destacou a singularidade deste fundo, realçando que “a grande vantagem, é que fomos buscar práticas consolidadas e experiência na concessão de financiamentos, às pequenas e médias empresas, particularmente nas zonas rurais do lado da Gapi e juntamos a isso uma grande vontade e esforço do ICM, para voltar a fazer diferença na comercialização, introduzindo um profundo sentido económico”. O Ministro da Indústria e Comércio chamou atenção para os modelos de implementação, que devem promover efectivamente o sector, relegando ao Estado o papel de regulador, daí que reitera que “o ICM é braço do Estado e a Gapi é uma instituição financeira de desenvolvimento nacional, com muitos anos de experiência e implantação nacional. Mais uma razão para deixarmos este desafio de apoiar e criar mais produtores, mais empresários, mais pequenas e médias indústrias, a caminho da nossa industrialização, entregue nas vossas mãos”. Tendo como fundamento o facto de a maioria da população nacional viver, directa ou indirectamente, da agricultura sendo que a comercialização dos seus excedentes se reveste de importância fundamental, para poder haver um real acréscimo de renda das famílias, o ICM implementa a agenda do Governo de apoiar, facilitar e garantir que os agricultores possam tirar maior proveito das diversas culturas agrícolas, alimentares e de rendimento, que produzem, beneficiando de valores das transacções comerciais dessa produção. Por sua vez, Mahomed Valá, director geral do ICM, realçou o facto desta linha representar a disponibilidade, de financiamento, “os produtores intermédios terão a possibilidade de induzir um movimento muito importante de comercialização agrícola, através da criação de melhores condições para o armazenamento. Acredito que é um início com muita racionalidade, muita sustentabilidade e sobretudo muita responsabilidade”. Valá acrescentou que “nos próximos dias queremos já convocar o Comité Directivo, para o início da operacionalização desta linha, de modo a que, até ao final do primeiro trimestre de 2019, já tenhamos os primeiros beneficiários desta iniciativa«. António Souto, presidente da Comissão Executiva da Gapi, reconheceu que a confiança depositada na sua instituição, o que em parte é fruto do trabalho que esta já vem desenvolvendo no apoio às organizações de produtores e à comercialização rural, como um dos elementos da ligação aos mercados para as várias cadeias de valor, bem como um factor de fortalecimento dos comerciantes rurais, no âmbito do comércio transfronteiriço e da segurança alimentar e nutricional. “Vimos sendo um parceiro estratégico do Estado, nos desafios de desenvolvimento que Moçambique enfrenta. Portanto, os comerciantes rurais, de preferência nos locais onde está a produção, irão começar a ver casos práticos deste instrumento que, sobre a vossa orientação, foi criado e que compete-nos a nós, como instituição financeira de desenvolvimento, implementá-lo eficientemente e com boa governação”. Referiu António Souto destacou ainda a grande importância da cooperação institucional, no fortalecimento de um sistema financeiro mais inclusivo: ”Só juntando sinergias e aproveintando a experiência de instituições nacionais que já vem fazendo, podemos alcançar o tão almejado desenvolvimento, que norteia as nossas agendas», finalizou.

Aguaceiros em Tete, Zambézia, Nampula, Cabo Delgado e Niassa; 33º em Maputo

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta quarta-feira(12) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu muito nublado. Continuação de ocorrência de aguaceiros ou chuvas fracas a moderadas
@Verdade - Últimas

Aguaceiros em Tete, Zambézia, Nampula, Cabo Delgado e Niassa; 33º em Maputo

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta quarta-feira(12) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu muito nublado. Continuação de ocorrência de aguaceiros ou chuvas fracas a moderadas, localmente fortes em Nampula e Niassa, acompanhadas por vezes de trovoadas. Vento de sueste a nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu muito nublado com períodos de pouco nublado em Sofala e Manica. Continuação de aguaceiros ou chuvas fracas, sendo em regime moderado a forte no extremo norte de Tete e Zambézia, acompanhadas por vezes de trovoadas. Possibilidade de queda de granizos no interior de Tete e Zambézia. Vento de sueste a nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo céu pouco nublado com períodos de muito nublado. Possibilidade de chuvas fracas ou chuviscos locais. Vento sueste a sudoeste fraco a moderado, temporariamente de noroeste em Maputo, soprando com rajadas. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 33 21 Xai-Xai 31 20 Inhambane 30 23 Vilankulo 32 20 Beira 29 18 Chimoio 27 19 Tete 30 20 Quelimane 30 24 Nampula 32 22 Pemba 32 26 Lichinga 22 17  

3ª feira de aguaceiros no Centro e chuvas fracas no Sul e Norte; 27º em Maputo

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta terça-feira(11) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu geralmente muito nublado. Continuação de ocorrência de aguaceiros e chuvas fracas
@Verdade - Últimas

3ª feira de aguaceiros no Centro e chuvas fracas no Sul e Norte; 27º em Maputo

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta terça-feira(11) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu geralmente muito nublado. Continuação de ocorrência de aguaceiros e chuvas fracas a moderadas localmente fortes, acompanhadas por vezes de trovoadas. Possibilidade de queda de granizos em Niassa e Cabo Delgado. Vento de nordeste a noroeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu muito nublado. Continuação de aguaceiros com trovoadas ou chuvas fracas a moderadas, localmente fortes. Possibilidade de queda de granizos no interior de Tete. Vento de noroeste a sudoeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas fortes. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo céu muito nublado. Aguaceiros ou chuvas fracas a moderadas, sendo fortes em Gaza e Inhambane, acompanhadas por vezes de trovoadas. Vento sueste a sudoeste, fraco a moderado soprando por vezes com rajadas fortes principalmente na faixa costeira. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 27 20 Xai-Xai 27 22 Inhambane 28 24 Vilankulo 30 21 Beira 29 24 Chimoio 27 17 Tete 27 19 Quelimane 29 25 Nampula 30 23 Pemba 32 26 Lichinga 26 17  

“Embarcações de Portugal, Espanha, França, África do Sul, Maurícias, Seychelles, ...

O ministro do Mar, Águas Interiores e Pescas esclareceu que não existe nenhum assalto chinês aos mares nacionais: “Qualquer embarcação que venha pescar tem que estar ao serviço de uma empresa nacional que está autorizada a operar em Moçambique”. A
@Verdade - Últimas

“Embarcações de Portugal, Espanha, França, África do Sul, Maurícias, Seychelles, ...

O ministro do Mar, Águas Interiores e Pescas esclareceu que não existe nenhum assalto chinês aos mares nacionais: “Qualquer embarcação que venha pescar tem que estar ao serviço de uma empresa nacional que está autorizada a operar em Moçambique”. Agostinho Mondlane desmistificou a fobia a China, “embarcações de Portugal, Espanha, França, África do Sul, Maurícias, Seychelles, Namíbia, etc, pescam nas nossas águas”, e revelou que muitos operadores moçambicanos praticam “subdeclarações tanto das capturas assim como das exportações”. Confrontado com as notícias dando conta que seis navios arrastões regressaram a China há poucas semanas com 359 toneladas de crustáceos e de peixe e que pelo menos 114 embarcações chinesas terão sido licenciadas para entrarem na pesca industrial em Moçambique o titular do Mar, Águas Interiores e Pescas esclareceu que: “Qualquer embarcação que venha pescar tem que estar ao serviço de uma empresa nacional que está autorizada a operar em Moçambique, com licença para determinada pescaria. Excepção coloca-se ao atum oceânico, pode-se licenciar empresas que tenham porto base no estrangeiro por ser uma espécie migratória”. “Fala-se em embarcações estrangeiras que estão a vir em número de 114, nós também ficamos surpreendidos com essa informação não sabemos de onde vem. A verdade é que nós temos estado a licenciar embarcações de empresas sediadas em Moçambique, é obrigatório que aqueles que queiram pescar nas nossas águas se constituam como empresas aqui em Moçambique, segundo a nossa lei. Depois solicitam pescar um ou várias espécies e nós verificamos em termos de disponibilidade de presença de embarcações para pescar por espécie se há lugar ou não” explicou o ministro Mondlane. Falando em conferência de imprensa na passada sexta-feira(07) o governante disse que por exemplo “para a pesca do camarão desde 2015 ainda não autorizei, há um diploma que encontrei que por uma questão de sustentabilidade veda a entrada de novas embarcações no banco de Sofala”. “A pesca ilegal começa a partir de nós próprios em Moçambique” De acordo com o Ministro do Mar, Águas Interiores e Pescas todas as 492 embarcações industriais e semi-industriais a operarem no nosso país “estão licenciadas de acordo das leis das pescas e respectivos regulamentos e estão sujeitas a monitoria, no caso mar, com o sistema por satélite”. Porque a lei moçambicana, tal como a de outros países, permite que empresas nacionais fretem embarcações em qualquer que seja o lugar, Agostinho Mondlane revelou que existem “embarcações de proveniência de vários países aqui em Moçambique não só da China, temos embarcações de Portugal, Espanha, França, África do Sul, Maurícias, Seychelles, Namíbia, etc, pescam nas nossas águas”. “A pesca ilegal começa a partir de nós próprios em Moçambique e depois inclui os que vem além mar”, não tem dúvidas Agostinho Mondlane que afirmou que informações postas a circular em alguma imprensa e nas redes sociais é encomendada por industriais da pesca nacional “que foram actuados por sonegação das quantidades capturadas de camarão e actuamos”. “Dados mostram uma estagnação da pesca semi-industrial e industrial” em Moçambique “Todas embarcações estão sujeitas a inspecções, no ano em curso já foram realizadas mais de 700 que resultaram 101 actuações de multa que no total somam 80 milhões de meticais. São infracções diversas, nuns casos de subdeclaração das capturas, noutros casos por pescar fora das zonas autorizadas para as artes que tem”, precisou o governante. Agostinho Mondlane declarou que até operadores pesqueiros industriais que estão há muito tempo em actividade fazem “subdeclarações tanto das capturas assim como das exportações. Não só dos valores dos volumes exportados como dos valores nos mercados de destino (...)há situações de exportadores que não repatriam as receitas” e por isso o sector das Pescas está a trabalhar com a Autoridade Tributária para que todos exportadores usem a Janela Única. “No novo regulamento quem sonegar dados ou fizer falsas declarações poderá correr o risco de perder a licença de pesca porque não podemos desenvolver no país uma indústria pesqueira de saque, queremos uma indústria pesqueira de desenvolvimento”, disse o ministro na primeira conferência de imprensa que realiza desde que está a dirigir o Pelouro do Mar, Águas Interiores e Pescas. Aliás, “os dados mostram uma estagnação da pesca semi-industrial e industrial” o ministro Mondlane detalhou que o sector que espera pescar 394 mil toneladas de pescado diverso, tem crescido desde 2015 uma taxa média anual de 9 por cento porém a pesca semi-industrial e industrial representa apenas 2,2 por cento. O @Verdade apurou que a pesca da lagosta que em 2017 foi de 237 toneladas reduziu para 130 este ano em 2019 deverá ficar-se pelas 150 toneladas. A gamba deverá chegar as 2.084 toneladas no próximo ano depois das 1.800 deste ano. O camarão que há dois registou 4.277 toneladas reduziu para 3 mil em 2018 e ficará nas 3.380 em 2019. O atum nacional deverá registar 1.100 toneladas em 2019, quantidade similar a de há dois anos, enquanto o atum estrangeiro deverá reduzir para apenas 500 toneladas contra as 3.200 desde ano e as 3.478 de 2017. Assinaláveis são os aumentos na pesca de peixe diverso, as 3.784 toneladas de 2018 deverão crescer para 5.768 em 2019, e do caranguejo que 150 toneladas deste ano poderá atingir as 270 no próximo ano. O governante revelou ainda que tendo em vista a preservação da espécies de pescado selvagens um novo regulamento entrará em breve em vigor que “vai impor que quem vai a pesca de espécies nativas também tem que desenvolver o potencial de produzir em aquacultura tanto no mar como nas águas interiores”. Actualmente a aquacultura contribuiu com 1 por cento de toda a pesca que se faz em Moçambique.

Esposa e família do empresário português raptado há dois anos no centro de Moçambique ...

A esposa do empresário português raptado a 29 de Julho de 2016, no distrito de Marínguè, província de Sofala, Salomé Sebastião, está em Maputo, desde a semana finda, para pressionar as autoridades moçambicanas a esclarecerem o desaparecimento do seu
@Verdade - Últimas

Esposa e família do empresário português raptado há dois anos no centro de Moçambique ...

A esposa do empresário português raptado a 29 de Julho de 2016, no distrito de Marínguè, província de Sofala, Salomé Sebastião, está em Maputo, desde a semana finda, para pressionar as autoridades moçambicanas a esclarecerem o desaparecimento do seu marido, Américo Sebastião, cujo processo de investigação já foi arquivado. Ela entregou à Assembleia da República (AR) mais uma petição através da qual exige que a vítima seja devolvida ao convívio familiar. Saliente-se que Portugal avisou, ano passado, que não iria se deixar vencer pelo cansaço, uma vez que Moçambique tem pautado por um “prolongado e insólito mutismo.” O documento – o terceiro de género a ser submetido ao Parlamento – foi igualmente entregue às bancadas parlamentares da Frelimo, da Renamo e do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), para que ajudem a obrigar o Governo a investigar e prestar explicações cabais em torno do caso. Em Setembro deste ano, a presidente da AR, Verónica Macamo, afirmou que recebeu uma carta dos parentes do empresário raptado, e não uma petição, conforme se propalava. A 26 de Outubro de 2018, a família de Américo Sebastião tomou conhecimento, por meio dos órgãos de comunicação social, de que “o processo de investigação foi arquivado, sem qualquer tipo de avanço”, disse, na última sexta-feira (07), a esposa da vítima, numa conferência de imprensa na capital moçambicana. Na data em alusão, a procuradora-chefe da República em Sofala, Carolina Azarias, anunciou o arquivamento das investigações ao desaparecimento do empresário, porque “infelizmente” não havia “pistas de quem possam ser os autores.” Ela esclareceu, contudo, que a suspensão da investigação não era definitiva, pois o caso poderia ser retomado assim que surgirem novos elementos com vista à responsabilização dos verdadeiros autores do crime. Na sequência, Salomé Sebastião mostrou-se completamente “surpresa” com a decisão, porquanto “não estava à espera.” Américo Sebastião foi raptado numa bomba de abastecimento de combustíveis em Nhamapadza, supostamente por indivíduos trajados de farda militar. Nesse ano, a região era palco do conflito político-militar entre o Governo e a Renamo. Volvidos mais de dois anos, o caso continua sem esclarecimento: não se sabe se a vítima goza ou não de boa saúde ou aconteceu-lhe o pior. Desde então, “não houve qualquer comunicação com a família” e os seus raptores, “nunca exigiram resgate”, assegurou Salomé Sebastião. A fonte disse que, na tentativa de esclarecer o assunto, as autoridades portuguesas ofereceram-se para ajudar o Governo de Moçambique mas este “nunca aceitou.” Salomé garante que ela e a família vão continuar de pedra e cal até que haja esclarecimento do desaparecimento do seu cônjuge. Aliás, prosseguiu, o Parlamento à única entidade à qual compete, constitucionalmente, “definir a política de defesa e segurança, ouvido o Conselho Nacional de Defesa e Segurança”, por isso, deve fazer valer o seu papel. “Há um cidadão que está desaparecido e é preciso encontrar mecanismos para o fazer regressar à casa”, disse Salomé, reiterando que se Moçambique não aceita ajuda internacional é porque “pode resolver esta questão e compreende que há capacidade” para o efeito. Em 2017, o Governo português “espremeu” a contraparte moçambicana exigindo explicações sobre o sumiço do seu concidadão. Porém, não teve resposta satisfatória, facto que originou crispação entre os dois países. Para além de Portugal ter acusado Moçambique de estar a ignorar as insistentes démarches da embaixadora de Portugal em Maputo, com vista a obter possíveis novos desenvolvimentos em torno do caso, considerou que o Governo do Presidente Filipe Nyusi estava a pautar por “um blackout quase absoluto.” E avisou que não iria se deixar vencer pelo cansaço, o mesmo que a família da vítima tem vindo a prometer.

Seis pessoas, a maioria adolescentes, morrem em clube nocturno na Itália

Seis pessoas, incluindo cinco jovens adolescentes, foram esmagadas até a morte na madrugada deste sábado após uma debandada em um clube nocturno lotado perto de Ancona, na costa adriática da Itália, disseram autoridades. As mortes ocorreram quando um
@Verdade - Últimas

Seis pessoas, a maioria adolescentes, morrem em clube nocturno na Itália

Seis pessoas, incluindo cinco jovens adolescentes, foram esmagadas até a morte na madrugada deste sábado após uma debandada em um clube nocturno lotado perto de Ancona, na costa adriática da Itália, disseram autoridades. As mortes ocorreram quando uma passagem que levava para fora da boate Lanterna Azzurra, na cidade de Corinaldo, desmoronou, causando a queda de dezenas de pessoas em uma trincheira abaixo. Três garotas, dois garotos e uma mãe que acompanhou seu filho ao evento morreram na queda. A polícia disse que os adolescentes tinham entre 14 e 16 anos, enquanto a mulher morta tinha 39 anos. Mais de 100 outras pessoas ficaram feridas, 13 delas seriamente, disseram autoridades. O corpo de bombeiros local disse que alguém poderia ter jogado uma substância como spray de pimenta na multidão, provocando uma corrida de pânico para as saídas de emergência. O vice-primeiro ministro Matteo Salvini, que também é ministro do Interior, disse que as primeiras indicações sugerem que havia muito mais pessoas do que o permitido dentro do clube, onde a popular rapper italiana Sfera Ebbasta deveria se apresentar. “As pessoas não podem morrer assim”, disse Salvini em um comunicado. “Encontraremos os responsáveis ??por essas seis vidas destruídas, aqueles que por malícia, estupidez ou ganância transformaram uma noite de festa numa tragédia”, acrescentou.

Surto de ebola na RDC iguala o mais mortífero da sua história com 280 mortos

O Ministério de Saúde da República Democrática do Congo (RDC) avaliou em 280 o número de mortes prováveis pelo surto do ébola no nordeste do país, segundo os últimos dados divulgados neste domingo por este organismo, um número que já iguala o mais
@Verdade - Últimas

Surto de ebola na RDC iguala o mais mortífero da sua história com 280 mortos

O Ministério de Saúde da República Democrática do Congo (RDC) avaliou em 280 o número de mortes prováveis pelo surto do ébola no nordeste do país, segundo os últimos dados divulgados neste domingo por este organismo, um número que já iguala o mais mortífero da sua história. Num relatório divulgado com números actuais até 7 de dezembro, as autoridades mostram que o total de casos está em 489, dos quais 441 foram confirmados em testes de laboratório e 48 são prováveis. Esta epidemia já igualou a mais mortífera da história da RDC, a que aconteceu na cidade de Yambuku, no norte do país, no final de Agosto de 1976 e é considerado como o primeiro surto do ébola registado. Com uma taxa de mortalidade de quase 90%, naquela ocasião morreram por causa do vírus 280 pessoas dos 318 casos que aconteceram. A actual epidemia é também a segunda maior de todo o mundo em número de casos, superando à registada no Uganda entre 2000 e 2001, na qual foram contabilizados 425 casos e 224 mortes, e só atrás da declarada em 2014 na Guiné, de onde se expandiu para Serra Leoa e Libéria.

River Plate vence Boca Juniors no prolongamento e é campeão da Libertadores

O River Plate derrotou o Boca Juniors por 3 a 1 após prolongamento para conquistar o título da Copa Libertadores neste domingo, em uma partida disputada em Madri, por causa da violência antes da partida da final agendadas inicialmente para Buenos Aires.
@Verdade - Últimas

River Plate vence Boca Juniors no prolongamento e é campeão da Libertadores

O River Plate derrotou o Boca Juniors por 3 a 1 após prolongamento para conquistar o título da Copa Libertadores neste domingo, em uma partida disputada em Madri, por causa da violência antes da partida da final agendadas inicialmente para Buenos Aires. A equipe do Boca abriu o placar pouco antes do intervalo por intermédio de Darío Benedetto, mas Lucas Pratto empatou para o River na metade do segundo tempo para forçar o prolongamento. Wilmar Barríos, do Boca, foi expulso com um minuto do tempo extra, e Juan Fernando Quintero, que saiu do banco de reservas, colocou o River à frente já na segunda parte do prolongamento, antes de Gonzalo Martínez fazer 3 a 1 nos segundos finais da partida, em contra-ataque, quando o Boca tinha todos os seus jogadores no ataque. O maior clássico da Argentina terminou empatado em 2 a 2 a 11 de Novembro, mas a segunda partida, no estádio do River, duas semanas depois, foi adiada quando jogadores do Boca ficaram feridos após adeptos do River atacarem o autocarro em que estavam. Autoridades do futebol sul-americano, então, decidiram transferir o jogo para o estádio do Real Madrid. O resultado significa que o River representará a América do Sul no Mundial de Clubes que começa no dia 12 nos Emirados Árabes Unidos.

Chuvas, trovoadas e ventos neste domingo em Inhambane, Sofala, Manica, Tete e Zambézia; 29º ...

O Instituto Nacional de Meteorologia(INAM) prevê a ocorrência de chuvas fortes (mais de 50 milímetros em 24 horas), localmente muito fortes (mais de 75 milímetros em 24 horas), acompanhadas de trovoadas severas e ventos com rajadas até 70 km/h e possibil
@Verdade - Últimas

Chuvas, trovoadas e ventos neste domingo em Inhambane, Sofala, Manica, Tete e Zambézia; 29º ...

O Instituto Nacional de Meteorologia(INAM) prevê a ocorrência de chuvas fortes (mais de 50 milímetros em 24 horas), localmente muito fortes (mais de 75 milímetros em 24 horas), acompanhadas de trovoadas severas e ventos com rajadas até 70 km/h e possibilidade de queda de granizos, a partir domingo(09) até terça-feira(11) nos distritos de Jangamo, Homoine, Morrumbene, Massinga, Vilankulo, Inhassoro, Govuro e Cidades de Inhambane e Maxixe(na Província de Inhambane); nos distritos de Chemba, Caia, Marromeu, Cheringoma, Maringué, Gorongosa, Muanza, Nhamatanda e Dondo, Buzi, Chibabava e cidade da Beira(na Província de Sofala); nos distritos de Guro, Tambara , Macossa, Bàrué, Manica, Gondola, Sussundenga, Machaze , Mossurize e cidade de Chimoio(na Província de Manica); nos distritos de Mutarara, Changara, Magoe, Cahora Bassa e Cidade de Tete(na Província de Tete); e também nos distritos de Chinde, Mopeia, Nicoadala, Namacurra, Maganja da Costa, Pebane, Mocuba, Morrumbala, Lugela, Ile, Gilé e Cidade de Quelimane(na Província de Zambézia). Entretanto para as províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula o INAM prevê céu pouco nublado localmente muito nublado. Ocorrência de aguaceiros ou chuvas fracas, localmente moderadas no interior de Niassa, acompanhadas por vezes de trovoadas. Vento de nordeste a sueste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Nas províncias de Gaza e Maputo o INAM prevê céu geralmente muito nublado. Aguaceiros fortes ou chuvas moderadas a fortes, acompanhadas de trovoadas, passando a regime fraco durante as primeiras horas de amanhã em Maputo e sul de Gaza. Vento de nordeste a sueste, soprando com rajadas moderadas a fortes. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 29 24 Xai-Xai 31 23 Inhambane 29 25 Vilankulo 32 25 Beira 34 25 Chimoio 33 20 Tete 34 23 Quelimane 32 25 Nampula 36 24 Pemba 32 26 Lichinga 28 22

2ªfeira de chuvas, trovoadas e ventos fortes Inhambane, Sofala, Manica, Tete e Zambézia; 26º ...

O Instituto Nacional de Meteorologia(INAM) prevê a continuação de ocorrência de chuvas fortes (mais de 50 milímetros em 24 horas), localmente muito fortes (mais de 75 milímetros em 24 horas), acompanhadas de trovoadas severas e ventos com rajadas até 7
@Verdade - Últimas

2ªfeira de chuvas, trovoadas e ventos fortes Inhambane, Sofala, Manica, Tete e Zambézia; 26º ...

O Instituto Nacional de Meteorologia(INAM) prevê a continuação de ocorrência de chuvas fortes (mais de 50 milímetros em 24 horas), localmente muito fortes (mais de 75 milímetros em 24 horas), acompanhadas de trovoadas severas e ventos com rajadas até 70 km/h e possibilidade de queda de granizos até terça-feira(11) nos distritos de Zavala, Inharrime, Jangamo, Homoine, Panda, Morrumbene, Massinga, Funhalouro, Vilankulo, Inhassoro, Mabote, Govuro e cidades de Inhambane e Maxixe(Província de Inhambane); nos distritos de Chemba, Caia, Marromeu, Cheringoma, Maringué, Gorongosa, Muanza, Nhamatanda, Dondo, Búzi, Chibabava, Machanga e cidade da Beira(na Província de Sofala); nos distritos de Guro, Tambara, Macossa, Bàrué, Manica, Gondola, Sussundenga, Machaze, Mossurize e cidade de Chimoio(na Província de Manica); nos distritos de Mutarara, Changara, Magoé, Cahora Bassa, Zumbu, Marávia, Chifunde, Macanga, Angónia, Tsangano e cidade de Tete(na Província de Tete); e ainda nos distritos de Chinde, Mopeia, Nicoadala, Namacurra, Maganja da Costa, Pebane, Mocuba, Morrumbala, Milange, Lugela, Ile, Gilé e cidade de Quelimane(na Província de Zambézia). Para as províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula o INAM prevê céu muito nublado. Aguaceiros ou chuvas fracas, localmente moderadas em Niassa, acompanhadas por vezes de trovoadas. Vento de nordeste a sueste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Nas províncias de Gaza e Maputo céu muito nublado. Aguaceiros ou chuvas fracas a moderadas, sendo fortes em Gaza e Inhambane, acompanhadas por vezes de trovoadas. Vento sueste a sudoeste, soprando por vezes com rajadas fortes. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 26 20 Xai-Xai 25 22 Inhambane 26 24 Vilankulo 24 18 Beira 24 20 Chimoio 21 18 Tete 29 22 Quelimane 29 25 Nampula 36 23 Pemba 32 26 Lichinga 29 18  

Sábado muito quente em Maputo, Gaza, Inhambane, Sofala, Manica e Zambézia

Depois do intenso calor registado no Sul e Centro de Moçambique o Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para este sábado(08): nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu pouco nublado localmente muito nublado. P
@Verdade - Últimas

Sábado muito quente em Maputo, Gaza, Inhambane, Sofala, Manica e Zambézia

Depois do intenso calor registado no Sul e Centro de Moçambique o Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para este sábado(08): nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu pouco nublado localmente muito nublado. Possibilidade de ocorrência de aguaceiros ou chuvas fracas, acompanhadas por vezes de trovoadas, principalmente no interior da província de Niassa. Vento de noroeste a nordeste, fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu geralmente muito nublado. Aguaceiros com trovoadas, principalmente em Manica, Sofala e Tete. Vento de noroeste a sueste, fraco a moderado. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo céu muito nublado. Aguaceiros com trovoadas em Maputo, sendo moderados a fortes, igualmente acompanhados de trovoadas em Gaza, a partir do final da manhã do Sábado. Vento de nordeste, rodando para sueste em Maputo e Gaza, soprando com rajadas moderadas. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 41 21 Xai-Xai 41 24 Inhambane 31 25 Vilankulo 32 22 Beira 34 25 Chimoio 34 20 Tete 35 20 Quelimane 36 27 Nampula 36 23 Pemba 33 25 Lichinga 31 18

Polícia detém falsificadores de moeda em Chimoio

Cinco indivíduos encontram-se a contas com as autoridades policiais, na cidade de Chimoio, província de Manica, indiciados de falsificação da moeda moçambicana – o metical – e tentativa de usá-la na comprar de bens em diferentes estabelecimentos com
@Verdade - Últimas

Polícia detém falsificadores de moeda em Chimoio

Cinco indivíduos encontram-se a contas com as autoridades policiais, na cidade de Chimoio, província de Manica, indiciados de falsificação da moeda moçambicana – o metical – e tentativa de usá-la na comprar de bens em diferentes estabelecimentos comerciais. Os detidos têm idades que variam de 16 a 29 anos, segundo o porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM), Mateus Mindú. Este alegou que um dos suspeitos é reincidente no crime de falsificação de moeda. O esquema de falsificação, desmantelado no fim-de-semana passado, consistia no recurso a uma impressora para reproduzir notas 200 meticais, que eram posteriormente usadas para adquirir produtos alimentares e outros bens em várias lojas. A última tentativa dos presumíveis falsários foi num estabelecimento comercial sito no bairro Chinfura, onde tentaram efectuar compras com o referido dinheiro mas foram descobertos pelo dono do estabelecimento comercial e denunciados à Polícia. Os indivíduos de idades compreendidas entre dezasseis a vinte e nove anos, usavam, uma impressora para multiplicar notas falsas de duzentos meticais. A PRM em Manica apelou à população para prestar bastante atenção no dinheiro que passa pelas suas mãos, para evitar ser enganada. Aliás, recentemente, a corporação deteve uma mulher de 55 anos de idade no posto policial de Ressano Garcia, na província de Maputo, acusada de posse 46.650 randes falsos. O valor equivale a pouco mais de 207 mil meticais ao câmbio do dia.

Orçamento de Estado para 2019 aprovado apenas com emendas de Comiche

A Lei do Orçamento do Estado para o próximo ano foi chancelada na Assembleia da República(AR), nesta quinta-feira(06), pelos deputados do partido Frelimo que nem sequer tiveram as suas poucas recomendações incluídas. As únicas alterações à proposta
@Verdade - Últimas

Orçamento de Estado para 2019 aprovado apenas com emendas de Comiche

A Lei do Orçamento do Estado para o próximo ano foi chancelada na Assembleia da República(AR), nesta quinta-feira(06), pelos deputados do partido Frelimo que nem sequer tiveram as suas poucas recomendações incluídas. As únicas alterações à proposta submetida pelo Governo de Filipe Nyusi foram feitas pelo deputado Eneas Comiche. É um ritual que se repete enquanto o partido Frelimo está no poder e mantém a maioria na chamada “Casa do Povo”, o Executivo faz a sua proposta de Orçamento escuta, nem sempre com atenção, às recomendações dos deputados e da Sociedade Civil, reconhece que algumas fazem sentido e poderão ser incluídas durante a implementação mas em termos práticos nada muda. A Lei do Orçamento do Estado na especialidade que foi nesta quinta-feira chancelada sofreu no entanto sete alterações impostas pelo presidente da Comissão do Plano e Orçamento(CPO) da AR. As receitas dos impostos sobre Mais-Valias que o Executivo pretende utilizar estavam erradamente quantificadas em 5.272.003,30 mil meticais na alínea b do Artigo 3, Eneas Comiche rectificou o montante para 5.274.779,30 mil meticais tendo em atenção o mapa das receitas por classificação económica. Foi rectificada parte da redacção do Artigo 7 que se referia “...a percentagem de 2,75% do imposto sobre a produção da extracção mineira e petrolífera...” passando a ler-se “...a percentagem de 2,75% do imposto sobre a produção mineira e petrolífera...”. Comiche obrigou ainda o Governo a alterar a sua proposta de lei no Artigo 12 onde fixava em 3.094.587,83 mil meticais o montante global de transferências correntes às autarquias passando para 3.143.938,50 meticais. O montante alocado para o Fundo de Compensação Autárquicas também foi revisto por indicação do presidente da CPO passando de 3.071.697,83 meticais da proposta governamental para 3.095.338,50 meticais. O valor a ser consignado no mesmo artigo na rubrica de Imposto Especial Sobre o Jogo foi revista por Eneas Comiche de 19.140 mil meticais para 44.850 mil meticais. O deputado, eleito edil da cidade de Maputo, alterou também o valor global de transferências de capital às Autarquias que o Executivo havia inscrito 1.687.668,75 mil meticais passou para 1.687.669,25 mil meticais. Foi ainda revisto em alta, por indicação do presidente da Comissão do Plano e Orçamento da AR, o montante alocado na alínea a do Artigo 13 que previa 1.547.668,75 mil meticais para o Fundo de Investimento de Iniciativa Autárquica para 1.547.669,25 mil meticais. Quiçá os partidos de oposição tenham competência para nas próximas eleições Gerais aumentarem a sua posição na Assembleia da República e, mais do que barrar, obriguem ao Governo a ser eleito a negociar cada umas das suas propostas que supostamente contribuirão para um Moçambique melhor.

Mais de 50% de crianças para a 1a. classe, em 2019, ainda não foram matriculadas em Moçambique

Apenas 746.838 crianças (48,7%), das 1.534.540 que devem frequentar a escola pública, pela primeira vez, em 2019, foram matriculadas, dois meses após o arranque do processo que termina no dia 24 de Dezembro corrente. Na verdade, o baixo índice de inscr
@Verdade - Últimas

Mais de 50% de crianças para a 1a. classe, em 2019, ainda não foram matriculadas em Moçambique

Apenas 746.838 crianças (48,7%), das 1.534.540 que devem frequentar a escola pública, pela primeira vez, em 2019, foram matriculadas, dois meses após o arranque do processo que termina no dia 24 de Dezembro corrente. Na verdade, o baixo índice de inscrição de novos ingressos da 1a. classe no Sistema Nacional de Educação (SNE) é uma situação antiga em Moçambique. Os pais e encarregados de educação têm negligenciado o processo de ano para ano. Apesar dos insistentes apelos do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano (MINEDH) no sentido de as crianças em idade escolar serem inscritas, a medida pouco surte os efeitos desejados. Em todos o país, as matrículas iniciaram a 01 de Outubro último e findam a 31 de Dezembro. Até 30 de Novembro passado, somente a cidade de Maputo tinha atingido 70% de inscrições, seguida das províncias de Sofala e Cabo Delgado, com 62,2 e 57,3%, respectivamente. Nas províncias de Gaza e Nampula foram matriculadas 22,4 e 36,4% de crianças e são as que registam números muito baixos. Refira-se, por exemplo, que, em 2017, pelo menos 62% da população de Nampula não era alfabetizada. Inhambane está, também, longe das metas estabelecidas, tendo matriculado apenas 38,1%, dos 67.046 alunos esperados para o próximo ano. Os restantes pontos do país registavam metas acima de 50%. Manuel Simbine, porta-voz do MINEDH, disse que os pais e encarregados de educação mantêm o hábito de deixar a matrícula dos seus filhos para os últimos dias do prazo concedido pelo Governo. Todavia, a instituição a que a fonte está afecta ainda acredita na possibilidade de as metas estabelecidas serem atingidas no período que falta para o término do processo. O fracasso nas matrículas “pode ser também por desconhecimento” dos pais e encarregados de educação, ponderou o responsável, salientando que as autoridades locais devem envidar esforços no sentido de informar à população que todos os petizes com idade escolar devem ser matriculados. Segundo Manuel Simbine, a realização de matrículas dentro dos prazos estabelecidos “permite uma melhor preparação e organização da abertura do ano de lectivo 2019”, que está prevista para 01 de Fevereiro e o arranque das aulas para 04 do mesmo mês. A fonte falava à imprensa, na quinta-feira (06), na capital do país, sobre a matéria em questão.

@Verdade Editorial: Um país dirigido por mentirosos

Há 43 anos, o povo moçambicano vive uma grotesca mentira habilmente promovida pelo Governo da Frelimo. Todos os dias, os moçambicanos são confrontados com demonstrações cabais da falta de traquejo e de entendimento por parte dos seus dirigentes. É, dig
@Verdade - Últimas

@Verdade Editorial: Um país dirigido por mentirosos

Há 43 anos, o povo moçambicano vive uma grotesca mentira habilmente promovida pelo Governo da Frelimo. Todos os dias, os moçambicanos são confrontados com demonstrações cabais da falta de traquejo e de entendimento por parte dos seus dirigentes. É, diga-se em abono da verdade, deprimente encontrar indivíduos a frente das instituições públicas e/o do Estado, que têm estado a lavrar relatórios falsos, prejudicando a população. Um dos exemplos disso é a situação verificada no distrito de Chiuta, na província de Tete, onde o Governo local apresentou um relatório falso ao Presidente da República, entre os meses de Julho e Agosto do ano preste a findar, garantindo que a questão de insegurança alimentar era um caso ultrapassado naquele ponto país. Este facto veio à superfície durante o comício popular e na feira agrícola, no qual Filipe Nyusi foi confrontado com relatos de fome e, sacodindo a água do capote, o Chefe de Estado desabafou dizendo que foi enganado. Esta é, sem dúvidas, mais uma prova de que o nosso país é governado por um bando de mafiosos preocupados com os seus problemas estomacais. É, no entanto, cariato que só agora o Presidente da República se tenha dado conta de que os seus títeres o enganaram. Aliás, a situação de Chiuta é sintomático do que tem estado a acontecer em todo o país. Quase todos os dias, os moçambicanos enfrentam o drama de falta de alimentos, de unidades sanitárias, educação e de vias de acesso condignas. Mas, por alguma carga de água, são apresentados relatórios triunfalistas, cheios de frases feitas, falando das supostas realizações do Governo. Agora, que estamos prestes a entrar num ano eleitoral, as mentiras sobre realizações do Governo serão sofisticadas para aldrabar os moçambicanos de modo que acreditem em todo que reluz como sinal de desenvolvimento. Como se não bastasse os relatórios falsos, também os moçambicanos assistem nas diversas instituições que compõem o sector público a um sistema letárgico institucionalizado tornando de certo modo as instituições num antro de inaptos mentais que se vangloriam da sua ignorância. Portanto, diante dessa realidade lamentável, vale a pena os moçambicanos continuarem a lutar para que, um dia, tenhamos um país decente e com dirigentes patriotas e comprometidos com a causa do povo.

MITADER prolonga proibição da exploração das madeiras Pau-ferro, Mondzo, Nkula, Inhamarre e ...

O Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural(MITADER) vai estender para 2019 a proibição que impôs em Março passado de exploração e recolha de madeiras das espécies Pau-ferro, Mondzo e Nkula incluindo na interdição as espécies de madeir
@Verdade - Últimas

MITADER prolonga proibição da exploração das madeiras Pau-ferro, Mondzo, Nkula, Inhamarre e ...

O Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural(MITADER) vai estender para 2019 a proibição que impôs em Março passado de exploração e recolha de madeiras das espécies Pau-ferro, Mondzo e Nkula incluindo na interdição as espécies de madeira Inhamarre e Mbuti. O @Verdade sabe que devido ao corte indiscriminado que aconteceu nos últimos anos a proibição de corte do Pau-ferro poderá ser estendida por mais 10 anos. Um dos corolários da “Operação Tronco”, levada a cabo em 2017, foi a decisão tomada pelo ministro Celso Correia de impedir “a exploração e recolha de madeira das espécies Pterocarpus tinctorius(Nkula), Swartzia madagascariensis (Pau-ferro) e Combretum imberbe(Mondzo)”. Em Despacho datado de 29 de Março de 2018 o titular da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural determinou ainda que não seria permitida a exportação das espécies Afzelia quanzensis(Chanfuta), Pterocarpus angolenses(Umbila), e Millettia stuhlmannii(Jambirre). O @Verdade apurou que durante o Inventário Florestal Nacional, concluído no passado mês de Agosto, verificou-se um declínio de até por cento dos cortes anuais admissível dessas espécies levando ao Governo a manter a interdição da exploração e recolha das espécies Nkula, Pau-ferro e Mondzo e ainda alargou a proibição para as madeiras Ekebergia capensis (Inhamarre) e Mbuti. O documento na posse do @Verdade recomenda que o “defeso especial do Pau-ferro se estenda por mais 10 ou 15 anos, e que durante este período se monitore o efeito do defeso especial na espécie” Sugere ainda que se considere a submissão das espécies Tule, Umbáua, Umbila, Jambirre e Mondzo “a um defeso especial ou a uma requalificação para espécies preciosas”. Os investigadores do Inventário Florestal Nacional não encontraram nenhuma árvore da espécie Nkula que tivesse alcançado o diâmetro a partir do qual as espécies comerciais podem ser legalmente exploradas e por isso recomendam “que se suspenda a exploração desta espécie até à realização de um inventário provincial detalhado ou inventário focado nesta espécie”. “Do total de 119 espécies comerciais de Moçambique, apenas 106 espécies foram encontradas. Destas 106, apenas 72 tinham indivíduos com o diâmetro à altura do peito a partir do qual as espécies comerciais podem ser legalmente exploradas”, constata ainda o Inventário Florestal Nacional a que o @Verdade teve acesso. Maiores quotas para exploração de madeira em 2019 vão ser atribuídas às província da Zambézia, Cabo Delgado e Sofala Entretanto o @Verdade apurou, na informação prestada pelo ministro Celso Correia à Comissão da Agricultura, Economia e Ambiente da Assembleia da República, que ainda baseado nos resultados do Inventário Florestal Nacional de 2018 o MITADER vai rebaixar o volume total de madeira a ser explorada dos 350 mil metros cúbicos do corrente ano para 347.528 metros cúbicos de madeira de outras espécies em 2019. O @Verdade apurou que as maiores quotas em 2019 vão ser atribuídas às província da Zambézia(81.483 metros cúbicos), Cabo Delgado(62.042 metros cúbicos) e Sofala(61.445 metros cúbicos), pois de acordo com o Inventário Florestal deste ano são as províncias com maior densidade de árvores com Diâmetro à altura do peito superior a 40 centímetros por unidade de área e onde se concentram o maior número de operadores florestais e concessões florestais. Estes mapas das previsões de quotas de exploração florestal do MITADER a que o @Verdade teve acesso mostram ainda que as nas espécies preciosas a maior exploração será de Pau-preto, 14.034 metros cúbicos dos quais 6.367 na província de Cabo Delgado, Chacate preto, 8.421 metros cúbicos dos quais 6.355 na província de Inhambane, Sândalo 5.867 metros cúbicos dos quais 4.094 na província de Inhambane, Muoma, 5.111 metros cúbicos dos quais 3.812 na província de Cabo Delgado, e Ébano, 1207 metros cúbicos todos a serem cortados na província de Sofala. Relativamente a madeira de primeira classe o @Verdade descortinou que a maior exploração será de Chanato, 63.758 metros cúbicos dos quais 47.120 na província de Tete, Umbila, 60.411 metros cúbicos dos quais 32.777 na província da Zambézia, Chanfuta, 42.947 metros cúbicos dos quais 15.134 na província de Cabo Delgado, Jambirre 35.543 metros cúbicos dos quais 12.086 na província de Cabo Delgado e Muanga, 9.990 metros cúbicos dos quais 8.595 na província da Zambézia.

6º feira de alguma chuva no Centro e Norte, muito calor no Sul; 38º em Maputo

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta sexta-feira(07) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu pouco nublado localmente muito nublado. Possibilidade de ocorrência de aguaceiros ou c
@Verdade - Últimas

6º feira de alguma chuva no Centro e Norte, muito calor no Sul; 38º em Maputo

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta sexta-feira(07) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu pouco nublado localmente muito nublado. Possibilidade de ocorrência de aguaceiros ou chuvas fracas, acompanhadas por vezes de trovoadas, principalmente no interior da província de Niassa. Vento de nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu pouco nublado com períodos de muito nublado. Aguaceiros ou chuvas fracas, localmente moderadas no interior das províncias de Manica, Tete e Zambézia por vezes acompanhadas de trovoadas. Vento de leste a nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo tempo quente a muito quente em Maputo e Gaza, com céu pouco nublado passando a muito nublado. Possibilidades de aguaceiros fracos locais, por vezes acompanhados de trovoadas. Vento de nordeste fraco a moderado por vezes de sueste em Maputo, soprando temporariamente com rajadas na faixa costeira. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 38 24 Xai-Xai 38 25 Inhambane 31 25 Vilankulo 31 24 Beira 32 26 Chimoio 32 21 Tete 35 26 Quelimane 33 25 Nampula 36 23 Pemba 32 25 Lichinga 29 19

Uma pessoa morre e oito feridas num acidente de viação na Maxixe

Uma pessoa morreu e outras oito da mesma família contraíram com ferimentos graves e ligeiros em consequência de um acidente de viação, ocorrido na terça-feira (04), na cidade da Maxixe, província de Inhambane. O desastre aconteceu ao longo da Estrad
@Verdade - Últimas

Uma pessoa morre e oito feridas num acidente de viação na Maxixe

Uma pessoa morreu e outras oito da mesma família contraíram com ferimentos graves e ligeiros em consequência de um acidente de viação, ocorrido na terça-feira (04), na cidade da Maxixe, província de Inhambane. O desastre aconteceu ao longo da Estrada Nacional número 1 (EN1), envolvendo uma viatura com chapa de matrícula AFH 487 MC. As vítimas partiram do distrito de Morrumbene com destino a Matalana, distrito de Marracuene, província de Maputo, onde iam participar na cerimónia de encerramento do curso básico da Polícia da República de Moçambique (PRM), na terça-feira (04). O homem que morreu no acidente em questão era pai de um dos mais de 2.000 policiais graduados no evento que marcou também a introdução do novo uniforme dos agentes da lei e ordem. Condutor da viatura sinistrada contou que a dado momento do percurso deparou-se com um homem excessivamente embriagado e estatelado no meio da estrada. Ao tentar esquivá-lo os pneus do carro atingiram-lhe os membros inferiores. Na circunstância, ele perdeu o controlo do volante, o carro despistou e embateu violentamente contra a plataforma de um camião que transportava sucatas, estacionado na berma da via. Os sobreviventes foram atendidos no Banco de Socorros do Hospital Rural de Chicuque, de onde os mais graves foram transferidos para o Hospital Provincial de Inhambane (HPI).

Acidentes de viação matam 15 pessoas no território moçambicano

Pelo menos 15 pessoas morreram e outras 63 ficaram feridas, 41 das quais com gravidade, devido a 22 acidentes de viação ocorridos na semana finda, segundo o Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM). A instituição indicou que, dos 2
@Verdade - Últimas

Acidentes de viação matam 15 pessoas no território moçambicano

Pelo menos 15 pessoas morreram e outras 63 ficaram feridas, 41 das quais com gravidade, devido a 22 acidentes de viação ocorridos na semana finda, segundo o Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM). A instituição indicou que, dos 22 sinistros rodoviários, nove foram do tipo atropelamento. Esta situação continua a ser uma das maiores inquietações das autoridades e outra entidades que actuam na área de prevenção e combate aos acidentes de viação. O excesso de velocidade, as deficiências mecânicas e a má travessia de peões foram as principais causas dos acidentes em alusão. A Polícia disse ainda, em comunicado enviado ao @Verdade, que nove indivíduos foram detidos por suposta condução ilegal e 34 acusados de tentativa de suborno aos agentes da Polícia de Trânsito (PT). Em todo o país, a PRM deteve 1.217 cidadãos, sendo 1.008 por alegada violação de fronteiras, um por imigração ilegal e 208 por práticas de outros crimes consideramos comuns.

Secretariado da Frelimo na cidade de Maputo destituído

O primeiro-secretário da Frelimo na cidade de Maputo, Francisco Mabjaia, já não é “todo-poderoso”. Foi deposto, na madrugada de quarta-feira (05), do cargo que sempre desejou e arquitectou várias artimanhas para consegui-lo. Aliás, todo o secretaria
@Verdade - Últimas

Secretariado da Frelimo na cidade de Maputo destituído

O primeiro-secretário da Frelimo na cidade de Maputo, Francisco Mabjaia, já não é “todo-poderoso”. Foi deposto, na madrugada de quarta-feira (05), do cargo que sempre desejou e arquitectou várias artimanhas para consegui-lo. Aliás, todo o secretariado caiu “por má direcção e prepotência do seu líder”, bem como “por intrigas no seio dos camaradas”, apurou o @Verdade. Para além de Francisco Mabjaia, foram também destituídos Maria Sales e Isilda Zandamela e Alexandre Muianga. Francisco Mabjaia chegou ao Secretariado do Comité da Cidade substituindo Hermenegildo Infante, eleito deputado da Assembleia da República (AR) em 2014. Quando completou o mandato, ele concorreu à sua própria sucessão e fez uma série de artimanhas para se manter no cargo. “instrumentalizou, subornou os apoiantes dos seus potenciais adversários e orientou as organizações sociais da Frelimo a centralizarem as tenções e o apoio à sua candidatura.” Reeleito, em Junho de 2017, Francisco Mabjaia – conhecido pelo cognome de “todo-o-terreno” no seio do seu partido, por conta da procura de notoriedade a todo custo entre os camaradas – sempre foi contestado e nunca reconhecido como um verdadeiro líder. Contudo, o homem que surpreendeu a tudo e todos tentando oferecer um tractor ao Chefe do Estado, no XI Congresso da Frelimo, recorreu a subornos para fragilizar os que se posicionavam contra as suas aspirações e desígnios supostamente contra a linha do partido, disseram as nossas fontes. Na ocasião, Margarida Talapa, membro da Comissão Política, apelou aos camaradas a reforçar a unidade e a coesão interna do partido, bem como a Mabjaia, particularmente, a continuar humilde que sempre foi. Porém, durante o reinado de Mabjaia, nem uma nem outra coisa houve. “Ele era um déspota”, disseram fontes do @Verdade. A contestação do primeiro-secretário avolumou-se aquando da apreciação do “relatório balanço do gabinete de preparação das eleições autárquicas de 2018” em consequência de se ter constatado que o documento apresentava várias incongruências, incluindo uso não justificado e supostamente para fins pessoais de fundos destinados ao escrutínio. Na sequência, um grupo de camaradas submeteu uma carta aos órgãos superiores da Frelimo exigindo a realização de uma sessão extraordinária. Todavia, o primeiro-secretário, mostrou-se contra. E não parou por aí: iniciou uma série de ameaças aqueles que estavam a favor do referido evento, bem como do seu afastamento da liderança do secretariado. Na sessão extraordinária que culminou com a sua destituição, Mabjaia foi destratado e humilhado perante os seus correligionários. Recebeu apupos, insultos e foi confrontado com acusações de perseguições e aliciamento de colegas com ideias contrárias às suas. “A Frelimo é de todos os militantes, incluindo os que que não fazem parte do Comité da Cidade de Maputo”, disseram os camaradas ajuntando que “os processos eleitorais devem ser geridos com cuidado e transparência.” Aliás, Mabjaia viu a sua continuidade no cargo fortemente ameaçada durante a preparação das recentes eleições autárquicas, quando ele foi acusado de ter orquestrado a exclusão de Samora Machel Júnior da lista das candidaturas internas do partido. “Samito”, como é carinhosamente tratado, candidatou à presidência do município de Maputo, nas eleições autárquicas de 10 de Outubro passado, pela Associação Juvenil para o Desenvolvimento de Moçambique (AJUDEM). A Comissão Nacional de Eleições (CNE) chumbou a candidatura daquela agremiação e do seu cabeça-de-lista por insuficiência de suplentes para preencher os lugares vagos em consequência da renúncia de quatro membros. Mabjaia é acusado de ter sido o mentor de toda a tramoia que culminou com a inviabilização da candidatura de Samora Machel Júnior nas eleições internas da Frelimo para as “autárquicas de 2018”, bem como da AJUDEM.

Maleiane deseja manter-se no cargo num 2º mandato de Nyusi

Apontado como demissionário em pelo menos duas ocasiões, referido como incompetente por pela Sociedade Civil o ministro Adriano Maleiane manifestou nesta quarta-feira(05) o seu desejo de manter-se no Governo durante o próximo mandato de Filipe Nyusi. “To
@Verdade - Últimas

Maleiane deseja manter-se no cargo num 2º mandato de Nyusi

Apontado como demissionário em pelo menos duas ocasiões, referido como incompetente por pela Sociedade Civil o ministro Adriano Maleiane manifestou nesta quarta-feira(05) o seu desejo de manter-se no Governo durante o próximo mandato de Filipe Nyusi. “Todos nós vamos trabalhar para que em 2020 eu esteja também aqui convosco” afirmou na Assembleia da República. Embora tenha herdado, com conhecimento ou não, as dívidas ilegais e a espiral de endividamento público da última década no auge dos seus 69 anos de idade Adriano Afonso Maleiane será o membro do Governo mais “massacrado” pela opinião pública, sociedade civil e oposição durante os quatro anos da governação de Filipe Nyusi. Importantes economista e membros da Sociedade Civil criticaram a sua forma de gestão da Economia e das Finanças moçambicanas porém, e apesar de ter sido dado como demissionário e até demitido, o facto é que o antigo Governador do Banco de Moçambique tem sobrevivido e nesta quarta-feira(04), durante a defesa do último Orçamento do 1º mandato do Governo a que pertence, o ministro da Economia e Finanças manifestou o seu desejo de continuar no cargo num mais do que provável 2º mandato de Filipe Nyusi. Explicando aos deputados da Assembleia da República as razões da não provisão de transferências para as Comunidades de Balama e Angoche explicou que: “Para nós colocarmos no Orçamento de 2019 tomamos em consideração receitas que foram produzidas 2 anos antes, ou seja só estão previstas as receitas que se verificaram em 2017. O que acontece é que para Balama em 2017 houve actividade experimental e o valor foi residual e não foi considerado mas seguramente no Orçamento de 2020 isso vai ser”. “Vão dizer mas o ministro está a falar de 2020, vai comprometer o outro Governo. Não, o que estou a dizer é que todos nós vamos trabalhar para que em 2020 eu esteja também aqui convosco para explicar”, declarou Adriano Maleiane que foi efusivamente aplaudido pelos deputados da bancado do partido Frelimo.

Governo admite que novos empregos que está a criar em Moçambique são precários

O primeiro-ministro admitiu que os milhões de novos empregos que o Governo está a criar são precários, estão na “agricultura e infra-estruturas, sobretudo na área de estradas e pontes”. Carlos Agostinho do Rosário foi segundado pelo seu ministro d
@Verdade - Últimas

Governo admite que novos empregos que está a criar em Moçambique são precários

O primeiro-ministro admitiu que os milhões de novos empregos que o Governo está a criar são precários, estão na “agricultura e infra-estruturas, sobretudo na área de estradas e pontes”. Carlos Agostinho do Rosário foi segundado pelo seu ministro da Economia e Finanças que apelou aos jovens a serem empreendedores: “primeiro é o trabalho, porque para trabalhar a partida não precisa de dinheiro” afirmou Adriano Maleiane durante defesa do Plano Economico e Social(PES) e do Orçamento de Estado(OE) para 2019 que foram aprovados nesta quarta-feira(05) pela Assembleia da República(AR). Para alcançar os 1.483.562 novos postos de trabalhos prometidos no Plano Quinquenal de Filipe Nyusi o primeiro-ministro argumentou que no PES de 2019 estão previstos, “criar cerca de 354 mil novos empregos, no âmbito da implementação de vários projectos nos sectores privado e público particularmente na educação, saúde, agricultura e infra-estruturas, sobretudo na área de estradas e pontes”. Estando inscritos no OE verba para a contratação de somente 12.128 novos Funcionários Públicos para educação, saúde e agricultura, os restantes o Executivo tem a expectativa que sejam contratados pelo Sector Privado nacional, 226.698, e que 29 mil consigam empregos no exterior, ao que o @Verdade apurou nas minas da África do Sul. Pnrante a improbabilidade do debilitado Sector Privado nacional criar todos os postos sonhados pelo Governo o ministro da Economia e Finanças apelou na Assembleia da República ao empreendedorismo por parte dos milhares de jovens que todos os anos atingem a idade activa para trabalharem mas não encontram empregos. “Eu costumo dizer aos jovens, quando faço visitas vejo muita gente envolvida em actividades uns na estrada, outros a lavar carros, outros fazer não sei quantos, e digo aqui sim tenho a juventude moçambicana que trabalha. O que digo a eles é que primeiro é o trabalho, porque para trabalhar a partida não precisa de dinheiro, o que você precisa é de acumular três condições simultaneamente: primeiro tem que ser um esforço físico ou intelectual, segundo tem que gerar rendimento aquilo que você está a fazer, e terceiro tem que ser socialmente aceite”, disse Adriano Maleiane. “Primeiro trabalho, trabalho, trabalho e depois vamos exigir aos Estado para criar as condições” O titular da Economia e Finanças explanou que tem tentado explicar aos jovens com quem tem convivido que devem procurar “oportunidade de trabalho, não de emprego, e procuramos onde estivermos”. “Primeiro é preciso que eu saiba fazer o quero fazer, por isso é que o ensino técnico profissional é para qualificar as pessoas para poderem saber fazer o que querem fazer. Segundo precisa de ter dinheiro, finanças. Terceiro precisa de ter o marketing, para vender o seu trabalho. Se reunir os três já tem o autoemprego”, concluiu o ministro. Maleiane acrescentou ainda que é preciso mudar a mentalidade: “Primeiro trabalho, trabalho, trabalho e depois vamos exigir aos Estado para criar as condições para aquilo que eu quero fazer não seja impedido por questão de burocracia, isso é o que nós fazemos na Prioridade número III, Produção, Produtividade e Competitividade, criar as condições para que as vontades de cada um possam fluir”. Deputados da Renamo e MDM incapazes de confrontar o Governo No seguimento das apresentações, na terça-feira(05), das propostas do Plano Económico e Social e do Orçamento de Estado para 2019 os 132 deputados do partido Frelimo, que já haviam imposto a vontade do partido no poder através das comissões especializadas de apreciação dos documentos, votaram favoravelmente a aprovação na generalidade dos dois importantes documentos de governação. Os deputados dos partidos Renamo e MDM votaram contra ambos documentos e foram incapazes, durante o debate que aconteceu nesta quarta-feira(05), de confrontar o Governo com inúmeras incongruências e políticas que visam fundamentalmente garantir a renovação do mandato do partido Frelimo e de Filipe Nyusi na Eleições Gerais de 2019. Os deputados dos partidos de oposição depois das explicações triunfalistas, irrealistas e utópicas do primeiro-ministro e do ministro da Economia e Finanças nem sequer conseguiram insistir para verem respondidas algumas das questões objectivas que apresentaram e foram simplesmente ignoradas pelos membros do Governo.

Continuação de muito calor nesta 5ªfeira cinzenta em Moçambique; 35º em Maputo

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta quinta-feira(06)em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu pouco nublado localmente muito nublado. Ocorrência de aguaceiros ou chuvas fracas, aco
@Verdade - Últimas

Continuação de muito calor nesta 5ªfeira cinzenta em Moçambique; 35º em Maputo

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta quinta-feira(06)em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu pouco nublado localmente muito nublado. Ocorrência de aguaceiros ou chuvas fracas, acompanhadas por vezes de trovoadas, principalmente na província de Niassa. Vento de nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu pouco nublado localmente muito nublado. Ocorrência de aguaceiros ou chuvas fracas locais, acompanhadas por vezes de trovoadas. Vento de leste a nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo céu pouco nublado com períodos de muito nublado no interior de Maputo e Gaza, onde há possibilidade de aguaceiros ou chuvas fracas acompanhados por vezes de trovoadas, com possibilidade de queda de granizo. Vento de nordeste fraco a moderado por vezes de sueste em Maputo e sul de Gaza, soprando temporariamente com rajadas fortes. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 35 23 Xai-Xai 35 24 Inhambane 31 25 Vilankulo 30 24 Beira 32 25 Chimoio 32 21 Tete 38 26 Quelimane 34 26 Nampula 36 23 Pemba 32 23 Lichinga 28 18  

Já são 10 os óbitos por consumo de suposto milho envenenado em Tete

Passou de nove para 10 o número de óbitos em consequência de uma suposta intoxicação alimentar, no distrito de Chiúta, província de Tete. A Polícia da República de Moçambique (PRM) deteve duas pessoas em conexão com o caso. Décima pessoa encont
@Verdade - Últimas

Já são 10 os óbitos por consumo de suposto milho envenenado em Tete

Passou de nove para 10 o número de óbitos em consequência de uma suposta intoxicação alimentar, no distrito de Chiúta, província de Tete. A Polícia da República de Moçambique (PRM) deteve duas pessoas em conexão com o caso. Décima pessoa encontrou a morte no Hospital Provincial de Tete (HPT), onde estava internada e estado grave. Uma vítima segue hospitalizada, também em estado crítico. Os perecidos são de duas famílias residentes no posto administrativo de Kazula, que no domingo (02) ingeriram uma massa de farinha de milho, vulgo chima, com caril de feijão. Segundo a Televisão de Moçambique (TVM), numa casa morreram sete indivíduos e noutras três. Suspeita-se que as vítimas tenham sido envenenadas na sequência de desavenças à volta de um curral de gado. Chepa Mesa, responsável adjunto do Comando Distrital da PRM de Chiúta, disse à TVM que há fortes suspeitas de os indivíduos detidos serem os mentores dos alegado envenenamento. A directora do HPT, Lídia Cunha, disse na segunda-feira que foram colhidas amostras para efeitos de exames com vista a apurar a causa da intoxicação. Chiúta é um dos nove que estão a braços com bolsas de fome na província de Tete. Os outros são Cahora Bassa, Changara, Chifunde, Doa, Magoe, Marara, Moatize e Mutarara. O facto é reconhecido pelo governo local, que tentou escondê-lo e fazer passar uma boa imagem no que à segurança alimentar diz respeito, diante do Presidente da República, Filipe Nyusi, durante uma visita de trabalho àquele distrito. “Vocês enganaram-me. Eu fui lá [em Chiuta] para dizer que não há fome e eles disseram que há fome (...). Dificultaram-me o comício. Ali, hoje eles [a população] disseram-me, em coro, que tem problemas. Para vocês não há? Qual é a explicação? Disseram em coro, vocês ouviram! Contrariaram”, reagiu Nyusi, após descobrir a desonestidade dos seus subalternos.

Frelimo aprovará Orçamento do fim do 1º mandato de Nyusi que reforça desigualdades entre ...

A bancada do partido Frelimo na Assembleia da República(AR) vai aprovar o Orçamento de Estado(O) para o último ano do 1º mandato presidencial de Filipe Nyusi indiferente ao efémero investimento na agricultura, ao aumento do serviço da Dívida Pública o
@Verdade - Últimas

Frelimo aprovará Orçamento do fim do 1º mandato de Nyusi que reforça desigualdades entre ...

A bancada do partido Frelimo na Assembleia da República(AR) vai aprovar o Orçamento de Estado(O) para o último ano do 1º mandato presidencial de Filipe Nyusi indiferente ao efémero investimento na agricultura, ao aumento do serviço da Dívida Pública ou ao agravamento das assimetrias com Maputo a ficar com mais de 69 por cento dos 340 biliões da despesa do Estado prevista em 2019. Em pré-campanha eleitoral o primeiro-ministro disse mesmo que os moçambicanos estão a recuperar o poder de compra. Pela primeira na história de Moçambique um Governo do partido Frelimo alocou 11 por cento de todo o seu OE para o sector de produção de comida, são 29,1 biliões de meticais, mais do dobro dos 13 biliões de 2018. Contudo mais do que aumentar a verba alocada para a agricultura o Executivo alterou a fórmula de contabilizar o dinheiro que alegadamente vai ser gasto neste sector considerado na Constituição “a base do desenvolvimento nacional”. O Executivo contabilizou como dotação para a agricultura as verbas alocadas em vários ministérios e instituições para a investigação, sementes melhoradas, fertilizantes, vias de acesso, energia, irrigação, armazenamento, comercialização e também os orçamentos para a pecuária e o sector de pescas. Foram também somados para esta alocação histórica todos os milhões de dólares que o Banco Mundial está, e vai, a investir no denominado “projecto Sustenta”, que em 2019 entra na sua segunda fase. “Com estes recursos alocados na agricultura acreditamos que continuaremos a aumentar a produção e produtividade agrária e, desse modo, reduzir o custo de vida através da estabilização dos preços nos diferentes mercados do nosso país”, afirmou o primeiro-ministro discursando nesta terça-feira(04) na plenária da AR. Primeiro-ministro omite serviço da Dívida Pública de 35 biliões de meticais Carlos Agostinho do Rosário disse que “tem vindo a registar contínua recuperação gradual dos crescimento da nossa economia”, assinalou também a melhoria do Produto Interno Bruto, projectado para 4,7 por cento em 2019, e enfatizou a redução da inflação: “Com estes ganhos na redução da inflação diminui-se gradualmente o esforço orçamental que as famílias necessitam de fazer para adquirir bens e serviços essenciais, em particular os produtos agrários”. Claramente o primeiro-ministro não paga as suas próprias contas pois sendo certo que os preços pararam de subir o facto é que não baixam há quase 2 anos. O quilo de arroz continua a custar cerca de 40 meticais, o copo de amendoim ou de feijão nhemba 20 meticais, o quilo de açúcar 65 meticais e o garrafão de 5 litros de óleo custa uma média de 400 meticais. “A nível da política orçamental registamos uma tendência decrescente do défice orçamental, reflectindo os esforços do Governo em consolidar as contas públicas bem como em trazer a dívida pública a parâmetros sustentáveis”, declarou ainda do Rosário sem no entanto mencionar que em 2019 o Executivo de que faz parte prevê gastar a soma inédita de 35 biliões de meticais com o serviço da Dívida Pública, Interna e Externa, que são 14 por cento de toda receita que o Estado espera colectar. Dos 638 autocarros adquiridos desde 2015 pelo Governo de Nyusi 502 ficaram em Maputo Ignorando as evidentes desigualdades entre o Sul e o resto de Moçambique, que são confirmadas pelos estudos do próprio Executivo, Filipe Nyusi voltou a alocar grande parte do seu OE a nível central, 183 biliões de meticais dos 340 biliões que é a despesa total do Estado ficam na cidade e província de Maputo. Embora o Governo argumente que a alocação no nível central deve-se ao facto dos grandes projectos serem assim inscritos mas durante a execução orçamental verifica-se que o dinheiro é gasto nas provinciais e distritos o facto é que os poucos exemplos de aplicação efectiva fornecidos pelo Executivo mostram a falácia da justificação. Um caso ilustrativo tem a ver com a melhoria dos serviços públicos de transportes de passageiros que em 2019 prevê um reforço de 100 novos autocarros porém todos destinam-se a cidade e província de Maputo. Aliás o @Verdade apurou que dos 638 autocarros adquiridos desde 2015 pelo Governo de Nyusi 502 ficaram em Maputo. A província de Sofala recebeu 37, para Nampula foram apenas 19 e para a Zambézia somente 13 autocarros.

Angel Fair África, em Maputo: Standard Bank acolhe evento que já gerou investimentos na ordem ...

A cidade de Maputo foi palco, recentemente, da sexta edição do Angel Fair Africa, um evento que reúne anualmente empreendedores do continente africano e investidores provenientes dos quatro cantos do mundo, com vista à promoção de novos negócios, inves
@Verdade - Últimas

Angel Fair África, em Maputo: Standard Bank acolhe evento que já gerou investimentos na ordem ...

A cidade de Maputo foi palco, recentemente, da sexta edição do Angel Fair Africa, um evento que reúne anualmente empreendedores do continente africano e investidores provenientes dos quatro cantos do mundo, com vista à promoção de novos negócios, investimentos e partilha de experiência. O evento contou com a participação de 30 startups, sendo 10 de Moçambique e as restantes da Tanzânia, Quénia, Angola, Zimbábwè e África do Sul, que tiveram a oportunidade apresentar as suas ideias (pitch) a potenciais investidores e parceiros interessados em contribuir para o desenvolvimento e crescimento dos seus negócios. Para além da apresentação das ideias de negócio, o Angel Fair Africa incluiu painéis de debate com oradores de renome, dos quais se destacam o investidor e empreendedor norte-americano Kamran Elahian e o empresário moçambicano Daniel David. Esta iniciativa é promovida pela Chanzo Capital, uma empresa de investimento africana, em parceria com a Associação Moçambicana de Business Angels (AMBA) e ideaLab, tendo contado com o patrocínio da Gapi e do Standard Bank, através da sua Incubadora de Negócios. Entretanto, o evento foi antecedido por uma formação de dois dias, que decorreu na Incubadora de Negócios do Standard Bank, durante a qual as startups seleccionadas adquiriram conhecimentos e ferramentas importantes para melhorar os produtos e serviços que se propõem criar, bem como para dar seguimento aos seus projectos. Para o Standard Bank, a realização deste evento no País vai alavancar o surgimento de mais startups, pois constitui uma plataforma de interacção entre estas e os investidores. “Um dos maiores desafios que as startups têm é a angariação de financiamento e é importante que tenhamos este tipo de evento em Moçambique pois promove o encontro entre os jovens com ideias viáveis e os investidores”, explicou João Guirengane, director da Banca de Investimentos do Standard Bank. Por seu turno, Sara Faquir, representante da ideiaLab, referiu-se à importância deste evento, que aproxima empreendedores e investidores que apostam em negócios ainda na sua fase inicial. “Nesta fase inicial, o investidor não está lá só para aplicar o seu dinheiro, mas também para disponibilizar a sua rede de contactos, o seu conhecimento, a sua experiência e outros elementos essenciais para alavancar uma startup”, disse Sara Faquir. Num outro desenvolvimento, Sara Faquir considerou ser urgente incutir no seio da sociedade moçambicana a cultura empreendedora e promover o interesse em investir em startups como alternativa ao financiamento bancário. “Ainda nos falta, em Moçambique, a cultura empreendedora. Tradicionalmente, não somos empreendedores, ainda estamos a dar os primeiros passos como País. Estamos habituados a ir à procura de investimento e não conseguimos olhar para as startups como uma oportunidade para quem tem algumas poupanças contribuir activamente neste processo de desenvolvimento do sistema financeiro”, justificou. Importa realçar que, até à sua quinta edição, o Angel Fair Africa já gerou investimentos estimados em 23 milhões de dólares norte-americanos em diversas empresas e startups, demonstrando a atractividade das soluções geradas no continente africano. As primeiras cinco edições deste evento tiveram lugar em Joanesburgo (África do Sul), Lagos (Nigéria), Acra (Gana), Nairobi (Quénia) e Abidjan (Costa do Marfim), em 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017, respectivamente.

Transformação da Polícia de Moçambique, de “cinzentinhos” para “azulinhos”, custa ...

Os agentes da Polícia da República de Moçambique deixaram oficialmente de ser “cinzentinhos”, nesta terça-feira(04), passando a envergar um novo uniforme em tons “azulinhos” que custaram ao erário mais de 466 milhões de meticais, muito mais do q
@Verdade - Últimas

Transformação da Polícia de Moçambique, de “cinzentinhos” para “azulinhos”, custa ...

Os agentes da Polícia da República de Moçambique deixaram oficialmente de ser “cinzentinhos”, nesta terça-feira(04), passando a envergar um novo uniforme em tons “azulinhos” que custaram ao erário mais de 466 milhões de meticais, muito mais do que todo orçamento de investimento alocado para 2019 na província do Niassa, de Manica ou de Inhambane. “O uniforme mais do que simples nova indumentária deve representar o renascer de uma Polícia da República de Moçambique aprumada, cada vez mais próxima da comunidade e dos seus anseios”, desafiou o Presidente da República e Comandante em Chefe das Forças da Lei e Ordem discursando no acto que marcou o lançamento de novo uniforme da PRM. Filipe Nyusi afirmou que o uniforme não deve servir para extorquir o cidadão “pelo contrário, o cidadão ao ver o policial deve encontrar o sossego e a paz”. Equivocadamente o Chefe de Estado declarou que nas estatísticas da corrupção em Moçambique encontra-se “o polícia com o expoente que agrava os indicadores”. É que embora alguns agentes da Polícia da República de Moçambique(PRM) sejam a face visível da corrupção o expoente deste mal encontra-se sim nos corpos sociais do partido Frelimo, nos gestores públicos, nos dirigentes do Estado e até nos órgãos da Justiça. Entretanto o @Verdade apurou que os novos uniformes “azulinhos” custaram 466.235.080 de meticais, verba repartida entre o Orçamento de Estado de 2018, e de 2019. Paradoxalmente o custo desta nova indumentária supera toda verba prevista para despesas de investimentos durante o próximo ano na província do Niassa, que são 300,4 milhões, ou para a província de Manica, 397,1 milhões, ou mesmo para a província de Inhambane, 310 milhões de meticais.

Exortação do DG do INSS: 'Devemos ser unidos, firmes e alinhados na gestão do INSS'

O director geral do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), Alfredo Mauaie, reafirmou a necessidade dos gestores estarem cada vez mais unidos, firmes e alinhados em relação à execução dos instrumentos e planos de gestão, com vista ao reforço d
@Verdade - Últimas

Exortação do DG do INSS: 'Devemos ser unidos, firmes e alinhados na gestão do INSS'

O director geral do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), Alfredo Mauaie, reafirmou a necessidade dos gestores estarem cada vez mais unidos, firmes e alinhados em relação à execução dos instrumentos e planos de gestão, com vista ao reforço do desiderato da instituição, de melhor servir ao utentes do Sistema de Segurança Social. Alfredo Mauaie fez este pronunciamento na segunda-feira, 3 de Dezembro, na cidade da Beira, província de Sofala, na abertura da reunião de harmonização de procedimentos de gestão do INSS, um evento que juntou directores de Serviços, chefes de Departamento Central e Delegados Provinciais do INSS. O director geral enalteceu os esforços significativos que têm sido feitos no quadro da aproximação e melhoria da prestação de serviços aos utentes do Sistema, tendo destacado a simplificação de procedimentos no âmbito do processo de modernização e informatização. A título de exemplo, apontou a plataforma M-Contribuição (Minha Contribuição, Meu Benefício), através da qual o beneficiário pode aceder, com um simples celular, a qualquer hora e lugar, à sua informação contributiva e a prova anual de vida dos pensionistas que, pela primeira vez, passou a ser feita de forma biométrica, o que permite maior celeridade e segurança ao processo. Desde a sua introdução, em Maio de 2017, a plataforma M-Contribuição já teve mais de 800 mil visualizações, sendo que mais de 67 mil beneficiários cadastraram-se ao sistema e controlam a sua situação contributiva sem intervenção do INSS. Apontou ainda a introdução da certidão de quitação automatizada, em que o empresário emite o documento no conforto do seu gabinete desde que não tenha qualquer dívida para com o Sistema de Segurança Social, permitindo-lhe, desde modo, participar, em tempo oportuno, em concursos públicos abertos pelo Estado. Desde o seu lançamento, em Julho do corrente ano, até ao presente momento, a plataforma já teve mais de 24 mil acessos, tendo sido geradas, com sucesso, mais de 13 mil certidões de quitação. Dos mais de 10.000 casos recusados devido as dívidas, mais de 3 mil já regularizaram a sua situação, o que resultou na cobrança de mais de 62 milhões de meticais, permitindo, deste modo, a salvaguarda do direito às prestações para perto de 35 mil beneficiários. Salientou ainda que o SISSMO-Pagamento tem permitido que os subsídios e pensões sejam determinados de forma automatizada, o que contribui para a redução significativa do tempo de espera e de processamento, para além de eliminar ou minimizar eventuais erros de cálculo ou tentativas de viciação de dados e fraudes. No quadro das acções visando a melhoria contínua da prestação de serviços, afirmou que o INSS está a implementar várias acções de impacto para os utentes do Sistema de Segurança Social, incluindo na componente comunicacional. “É desta forma que contamos com uma Estratégia de Comunicação e Imagem (2018-2022), um instrumento orientador que pretende reforçar a nossa capacidade de comunicação e melhoria da nossa imagem, com vista a assegurar-se o cumprimento da missão e o alcance da visão da instituição”, fez notar. A implementação da Estratégia de Comunicação e Imagem, segundo destacou, exige o comprometimento de todos os funcionários do INSS, a vários níveis, pelo que os mesmos são chamados a participarem activamente e a contribuírem para o alcance da prestação de serviços de excelência aos utentes do Sistema de Segurança Social. Alfredo Mauaie saudou a direcção máxima do Ministério do Trabalho, Emprego e Segurança Social e o Conselho de Administração do INSS pelo engajamento e orientações estratégicas que têm vindo a tomar e a transmitir para a melhoria do processo de gestão do INSS, com vista a robustecer o Sistema de Segurança Social e a aumentar a credibilidade da instituição. O encontro da Beira discutiu, dentre vários temas, o funcionamento do SISSMO e os seus desafios, a reestruturação do Departamento Provincial de Seguro Social face ao processo de informatização e gestão de Recursos Humanos.

4ª feira cinzenta porém de muito calor em Moçambique; 36º em Maputo

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta quarta-feira(05) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu pouco nublado localmente muito nublado. Ocorrência de aguaceiros fracos ou chuvas fra
@Verdade - Últimas

4ª feira cinzenta porém de muito calor em Moçambique; 36º em Maputo

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta quarta-feira(05) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu pouco nublado localmente muito nublado. Ocorrência de aguaceiros fracos ou chuvas fracas, acompanhadas por vezes de trovoadas. Vento de nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu pouco nublado localmente muito nublado. Ocorrência de chuvas fracas, podendo ser em regime moderado em Manica, acompanhadas por vezes de trovoadas. Vento de sueste a nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo céu pouco nublado temporariamente muito nublado. Ocorrência de aguaceiros fracos ou chuvas fracas, acompanhadas por vezes de trovoadas. Vento de sueste a nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 36 25 Xai-Xai 36 22 Inhambane 32 25 Vilankulo 31 24 Beira 33 24 Chimoio 35 20 Tete 40 24 Quelimane 34 24 Nampula 37 21 Pemba 32 24 Lichinga 28 17  

Modric ganha Bola de Ouro 2018 e põe fim ao domínio Messi-Cristiano Ronaldo

O meio-campista croata Luka Modric, do Real Madrid, ganhou a Bola de Ouro de 2018 nesta segunda-feira, pondo fim ao domínio de dez anos de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi no prestigioso prémio. Modric, de 33 anos, ajudou o Real Madrid a conquistar o ter
@Verdade - Últimas

Modric ganha Bola de Ouro 2018 e põe fim ao domínio Messi-Cristiano Ronaldo

O meio-campista croata Luka Modric, do Real Madrid, ganhou a Bola de Ouro de 2018 nesta segunda-feira, pondo fim ao domínio de dez anos de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi no prestigioso prémio. Modric, de 33 anos, ajudou o Real Madrid a conquistar o terceiro título consecutivo da Liga dos Campeões em Maio e também levou a Croácia à sua primeira final da Campeonato do Mundo, sendo eleito o jogador do torneio, apesar de ter perdido a decisão por 4 x 2 para a França. “É um sentimento único. Estou feliz, orgulhoso e honrado. Tenho muitas emoções agora, é difícil descrever em palavras”, disse Modric, de smoking, ao receber o prémio do apresentador e ex-atacante francês David Ginola depois de uma cerimónia glamourosa no Grand Palais em Paris. O prémio, votado por jornalistas e organizado pela revista francesa France Football, era dominado por Messi e Ronaldo desde 2008. O último jogador a tirar o prémio do argentino e do português, que têm cinco troféus cada, foi Kaká em 2007, quando o brasileiro jogava pelo AC Milan. Cristiano Ronaldo, actualmente na Juventus, ficou em segundo lugar, enquanto o atacante do Atlético de Madri e da selecção francesa Antoine Griezmann terminou em terceiro. O atacante do Paris Saint-Germain Kylian Mbappé, que recebeu o prémio de melhor jogador sub-21, ficou em quarto, com o atacante Messi terminando em quinto.

Presidente da Nigéria nega ter morrido e substituído por sósia

O presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, negou no domingo alegações de que ele morreu e foi substituído por um sósia, rompendo o silêncio sobre um rumor que tem circulado em redes sociais há meses. Buhari, que está concorrendo à reeleição em f
@Verdade - Últimas

Presidente da Nigéria nega ter morrido e substituído por sósia

O presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, negou no domingo alegações de que ele morreu e foi substituído por um sósia, rompendo o silêncio sobre um rumor que tem circulado em redes sociais há meses. Buhari, que está concorrendo à reeleição em fevereiro, passou cinco meses no Reino Unido no ano passado em tratamento para uma doença que não foi divulgada. Uma teoria amplamente divulgada em redes sociais -e por alguns adversários políticos- foi que ele teria sido substituído por um sósia do Sudão chamado Jubril. Nenhuma evidência foi apresentada, mas vídeos que fazem a alegação tiveram milhares de visualizações no Youtube e no Facebook. “Sou eu de verdade, eu garanto. Eu logo comemorarei meu aniversário de 76 anos e estarei forte”, disse Buhari a nigerianos em uma sessão de Congresso na Polónia, onde participou de uma conferência, quando questionado sobre Jubril. “Muitas pessoas esperavam que eu morresse durante a minha saúde fragilizada”, disse ele, acrescentando que aqueles que espalharam esses rumores eram “ignorantes e irreligiosos”.

40 milhões de pessoas no mundo vítimas da escravatura, denuncia OIT

A escravatura continua a ser um fenómeno muito real e muito notório, afetando mais de 40 milhões de pessoas no mundo, segundo um comunicado da Organização Internacional do Trabalho (OIT). As crianças são quase um quarto das vítimas, apesar da entra
@Verdade - Últimas

40 milhões de pessoas no mundo vítimas da escravatura, denuncia OIT

A escravatura continua a ser um fenómeno muito real e muito notório, afetando mais de 40 milhões de pessoas no mundo, segundo um comunicado da Organização Internacional do Trabalho (OIT). As crianças são quase um quarto das vítimas, apesar da entrada em vigor, em 2016, do Protocolo sobre o Trabalho Forçado, um facto histórico, lê-se na nota publicada neste fim de semana. A 2 de Dezembro, foi proclamado Dia Internacional da Abolição da Escravatura, que marca a adoção pela Assembleia Geral da Convenção para a Repressão do Tráfico dos Seres Humanos e Exploração da Prostituição de Outrem, em vigor desde 1951. Este dia representa uma oportunidade para sensibilizar o mundo a este problema mundial, focalizando-se na erradicação das formas contemporâneas da escravatura, tais como o tráfico dos seres humanos, a exploração sexual, as piores formas de trabalho das crianças, o casamento forçado e o recrutamento de crianças para serem utilizadas em conflitos armados. Segundo o comunicado, o trabalho das crianças é hoje essencialmente motivado por razões económicas, o que constitui uma violação da Convenção dos Direitos da Criança, que reconhece «o direito dos mesmos a serem protegidos da exploração económica e a não serem forçados a nenhum trabalho de risco ou susceptível de comprometer a sua educação e ou de prejudicar a sua saúde ou o seu desenvolvimento físico, mental, espiritual, moral ou social». O trabalho das crianças também é claramente proibido pelo Protocolo que visa prevenir, reprimir e punir o tráfico de pessoas, em particular mulheres e crianças, adoptado em 2000 pela Assembleia Geral. O mesmo define o tráfico como «o recrutamento, o transporte, a transferência, o alojamento ou o acolhimento de pessoas, recorrendo à ameaça, à força ou a outras formas de constrangimento para fins de exploração». A OIT está a realizar uma campanha, com o apoio dos seus parceiros, para convencer 50 países, batizado «50 for freedom» (50 pela liberdade), a ratificarem o Protocolo sobre o Trabalho Forçado, onde o público é encorajado a acrescentar o seu nome para ajudar a alcançar este objetivo. Até ao momento, apenas 27 países ratiicaram o protocolo.

Get more results via ClueGoal